Câncer de Mama: tudo sobre!

Câncer de Mama: tudo sobre!

Quer descobrir tudo sobre o câncer de mama? O Estratégia MED separou para você as principais informações sobre o assunto. Acompanhe este texto e descubra!

O que é câncer de mama?

O câncer de mama são tumores malignos que se originam geralmente das células epiteliais luminais das unidades terminais ductolobulares, de maneira que se classificam como carcinoma

Tipos de câncer de mama

Tipos de câncer de mama

O câncer de mama pode ser classificado em carcinoma in situ –  proliferação neoplásica de células com atipia, sem rotura da membrana basal e invasão estromal. Ele se subdivide em carcinoma ductal in situ e carcinoma lobular in situ. Essa última classificação é feita com base no padrão arquitetural e citológico,  não na origem da linhagem celular. 

Existem também os carcinomas invasivos ou infiltrativos, esses invadem o estroma e podem avançar sobre vasos linfáticos e sanguíneos, músculos e pele. Existem mais de 22 tipos de carcinomas invasivos, sendo que o mais comum é o carcinoma mamário invasivo sem tipo especial. Outros subtipos de carcinomas mais comuns são o lobular, o tubular, o cribiforme, o mucinoso, o com elementos medulares, o apócrino, o com células em anel de sinete, o micropapilar invasivo, o metaplásico e o adenóide cístico. As demais formas são muito raras.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito pelo exame das mamas, que envolve a inspeção estática e dinâmica, palpação e expressão das mamas. Havendo a presença de massas palpáveis ou descarga papilar suspeita de malignidade, o exame padrão-ouro que deve ser solicitado é a mamografia

Tendo achados de imagem suspeitos para malignidade com mamografia classificada como BI-RADS 4 ou acima, é necessário realizar biópsia da lesão. Para diagnóstico de câncer de mama, não deve ser feita a punção aspirativa por agulha fina – PAAF – , mas sim core-biopsy, que retira fragmentos da lesão de forma percutânea. 

O tecido retirado deve ser encaminhado para avaliação patológica com o objetivo de realizar a conclusão diagnóstica. Atualmente, é fundamental realizar também a classificação molecular dos carcinomas invasivos, pois eles são capazes de orientar melhor a conduta terapêutica. 

Assim, esses carcinomas são classificados em:

  1. Luminal A: tumores expressam genes e proteínas das células epiteliais luminais da mama, são receptor de estrogênio (RE) e receptor de progesterona (RP) positivos e receptor 2 do fator de crescimento epidérmico (HER2) negativos;
  2. Luminal B: tumores expressam genes e proteínas das células epiteliais luminais da mama altamente proliferativos e/ou HER2 positivos;
  3. HER2: superexpressão de HER2 e RE/RP negativos; e
  4. Basal-símile: tumores expressam de genes e proteínas das células basais/mioepiteliais da mama. Em geral, são RP, RE e HER2 negativos.

Tratamento

O tratamento do câncer de mama pode ser local ou sistêmico, sendo que o primeiro abrange cirurgia e radioterapia, enquanto o segundo envolve quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica

A cirurgia pode envolver apenas a retirada do tumor, a quadrantectomia ou a mastectomia radical, retirada da mama seguida de reconstrução mamária. A depender do estadiamento da doença, pode ser necessário também o esvaziamento axilar ou a radioterapia após o procedimento operatório. 

Pacientes com tumores maiores, porém ainda localizados, podem necessitar de quimioterapia neoadjuvante, seguida de tratamento local. O tratamento com hormonioterapia é baseado na mensuração dos receptores hormonais do tumor e a terapia biológica pode utilizar-se de anti-HER2 em tumores que expressam HER2. 

Como prevenir o câncer de mama?

A prevenção envolve reduzir os fatores de risco modificáveis, com mudanças de estilo de vida, como evitar o consumo abusivo de álcool, cessar tabagismo, praticar atividades físicas regularmente e procurar manter uma alimentação saudável. 

Para a detecção precoce do câncer de mama, a Organização Mundial da Saúde, cuja orientação é adotada pelo Ministério da Saúde, recomenda a realização de mamografia de rastreamento a cada dois anos para mulheres entre 50 a 69 anos de idade. Mulheres com história familiar de câncer de mama, especialmente em idades precoces, devem procurar seu médico para orientação específica quanto ao rastreamento. 

A detecção precoce do câncer de mama reduz o risco da paciente morrer em decorrência dessa doença, além de possibilitar a realização de tratamentos menos agressivos

Gostou do conteúdo que o Estratégia MED trouxe para você? Então não deixe de aproveitar as outras opções para estudo que preparamos para você! Se você vai se preparar para as principais e mais concorridas provas de Residência Médica do Brasil, então o Curso Extensivo do Estratégia MED é o seu principal aliado. 

Na plataforma do Estratégia MED, há videoaulas elaboradas especialmente para a preparação para a prova de Residência Médica, material completo e constantemente atualizado, banco com milhares de questões resolvidas, possibilidade de montar simulados e de estudar onde e quando quiser. Se interessou? Clique no banner abaixo e saiba mais. 

Curso Extensivo Residência Médica

Você pode gostar também