Osteoporose: o que é, causas e muito mais!

Osteoporose: o que é, causas e muito mais!

Quer descobrir tudo sobre a osteoporose? O Estratégia MED separou para você as principais informações sobre o assunto. Acompanhe este texto e descubra!

O que é osteoporose?

A osteoporose é uma doença osteometabólica que afeta a capacidade de resistência dos ossos, o que promove uma maior predisposição da pessoa afetada a fraturas

Quais os sintomas da osteoporose?

Quais os sintomas da osteoporose?

A perda de qualidade da resistência óssea é assintomática, muitas vezes é notada apenas quando ocorrem as fraturas, que comumente aparecem nas vértebras e no fêmur

A fratura vertebral é a mais comum e muitas vezes não causa sintomas, de maneira que em grande parte dos casos é descoberta apenas quando se realiza uma radiografia de tórax ou de coluna, por algum motivo não associado à osteoporose. Quando há sintomas, pode haver uma dor aguda no local que melhora em algumas semanas. 

Após a ocorrência de fraturas vertebrais, a pessoa pode notar alguma perda de altura ou deformidades na coluna.  

Quedas podem levar a fraturas de quadril e de fêmur, que são bastante dolorosas e trazem agravos importantes ao paciente, pois podem causar imobilidade, o que debilita a condição geral de saúde da pessoa, deixando-a mais propensa a infecções e úlceras de pressão, entre outros problemas. 

Quais as causas da osteoporose?

A osteoporose pode ser primária ou secundária, sendo que na primária não é possível destacar qual a origem da doença. Já a secundária, há uma doença específica que leva ao seu surgimento. 

As causas da osteoporose primária são multifatoriais. Todos os fatores que interferem na quantidade óssea e em sua qualidade podem contribuir para o desenvolvimento da doença. 

A quantidade óssea depende principalmente de como foi o processo de formação óssea da pessoa durante a sua vida. Ou seja, o pico de massa óssea varia conforme a constituição genética da pessoa, dieta e atividades físicas.

Após ser atingido o pico de massa óssea, há um platô, em que a quantidade se mantém e após um tempo esse valor começa a declinar. Em mulheres, essa queda começa a acontecer na menopausa, devido à redução de estrogênio circulante, e, em homens, na sexta década de vida

Já a qualidade óssea pode sofrer influência de outros fatores. Um deles é a própria arquitetura óssea, que pode tornar os ossos mais vulneráveis à ação de forças externas, como em ossos mais longos que a média. Outro fator que pode ser citado é a qualidade e proporção do colágeno presente nos ossos, que pode levar a maior fragilidade óssea.

A osteoporose secundária pode decorrer de uma grande variedade de causas pré-definidas, tais como:

a) hiperparatireoidismo: aumento da concentração de paratormônio, cuja função é retirar cálcio dos ossos e liberá-lo na corrente sanguínea;

b) má-absorção: doenças que causam má-absorção, como doença de Crohn e doença celíaca, podem reduzir a absorção de cálcio no intestino, promovendo a perda de massa óssea;

c) osteogênese imperfeita: também conhecida como “doença dos ossos de vidro”, há uma deficiência genética na produção de colágeno, levando a perda de resistência óssea;

d) hipovitaminose D: a vitamina D é responsável por promover a absorção intestinal de cálcio. Na sua ausência há deficiência de cálcio sérico, de maneira que resulta na descalcificação óssea;

e) medicações: algumas medicações, como corticosteroides, antagonizam a formação óssea, prejudicando a massa óssea.

Prevenção

A única forma de prevenir a osteoporose é agir nos fatores de risco modificáveis para a doença. Para promover uma boa formação de massa óssea, as pessoas devem ser instruídas a terem alimentação rica em cálcio, exposição solar moderada, para produção de vitamina D, e realizar atividades físicas regulares. 

Também deve-se evitar, quando possível, o uso de corticosteroides e orientar os pacientes a cessar o tabagismo e o etilismo

Diagnóstico

Como a osteoporose é uma doença bastante silenciosa no início, indica-se o rastreamento para as seguintes pessoas: 

  1. Mulheres com mais de 65 anos e homens com mais de 70 anos;
  2. Mulheres após a menopausa com menos de 65 anos e homens entre 50 e 70 anos com fatores de risco;
  3. Adultos com doenças, condições ou uso de medicações que levem a fragilidade óssea.

O rastreamento ou a investigação diagnóstica de fraturas de fragilidade são feitas com a realização de densitometria óssea, na qual se avalia a densidade dos ossos do quadril e coluna. O valor é comparado com um padrão de referência de mulheres jovens saudáveis, resultado esse denominado escore-T; e a um padrão de referência de pessoas do mesmo sexo, etnia e idade do paciente, ao que se chama escore-Z.

O critério de escore-Z é usado para crianças e adolescentes, mulheres durante a vida reprodutiva e homens abaixo de 50 anos. Já o escore-T é usado para mulheres após a menopausa e homens acima de 50 anos

Quando o critério é o escore-Z, um resultado abaixo de -2,0 é diagnóstico de baixa massa óssea para a idade. Já quando é o escore-T, o resultado abaixo de -2,5 é classificado como osteoporose. 

Tratamento para a osteoporose

O tratamento para a osteoporose envolve mudança de estilo de vida, enriquecendo a alimentação dos pacientes, com mais ingestão de cálcio, e realização de atividades físicas.

Além disso, é possível que haja a necessidade de suplementação de vitamina D e cálcio por via oral. 

Farmacologicamente, a principal classe de medicamentos que age na redução de fraturas é a dos bisfosfonatos, como alendronato e risedronato. 

Gostou do conteúdo que o Estratégia MED trouxe? Então aproveite as oportunidades de estudo que preparamos para você! Se você quer estudar para as provas de Residência Médica de todo o Brasil, então o Curso Extensivo do Estratégia MED é o seu principal aliado. 

Na plataforma do Estratégia MED, há várias videoaulas voltadas para a prova de Residência Médica, material completo e atualizado, banco com milhares de questões resolvidas, possibilidade de montar simulados e de estudar onde e quando quiser

Se interessou? Clique no banner abaixo e saiba mais. 

Você pode gostar também