Siringomielia: causas, sintomas e muito mais!

Siringomielia: causas, sintomas e muito mais!

Quer descobrir tudo sobre a siringomielia? O Estratégia MED separou para você as principais informações sobre o assunto. Acompanhe este texto e descubra!

O que é siringomielia?

A siringomielia é a presença de uma cavidade – a siringe – com coleção líquida na medula espinhal, que pode se expandir e causar lesões nervosas. É uma doença rara, com prevalência de, aproximadamente, um caso para cada 12.500 pessoas.

Quais as causas da siringomielia?

Quais as causas da siringomielia?

Na maioria dos casos, a siringomielia é congênita e associada a uma malformação, denominada Arnold-Chiari tipo 1, que envolve o crânio. Essa condição promove uma redução de fluxo do líquido cefalorraquidiano, o que força sua entrada para o canal medular, formando a siringe. Nesse caso, as siringomielias estão presentes, principalmente, na porção cervical da medula.

Outras causas possíveis são o trauma de medula espinhal, aracnoidite e tumores medulares. Essas situações podem levar à cavitação da estrutura nervosa e entrada de liquor nesse espaço. Nessas hipóteses, as siringes podem estar presentes em qualquer porção da medula

Sintomas de siringomielia

Tal condição pode ser assintomática e identificada de maneira incidental. Quando há sintomas, geralmente surgem entre a segunda e quarta décadas de vida, com média de 30 anos de idade e dependem principalmente da topografia da lesão. São eles:

  1. Dissociação anestésica: perda de sensibilidade de dor e temperatura e preservação do tato e propriocepção;
  2. Paresia progressiva de membros;
  3. Atrofia muscular; e
  4. Alterações na propriocepção e sensibilidade vibratória.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito com base na anamnese compatível com a condição e exame neurológico completo, com o objetivo de topografar a lesão e excluir outras possíveis causas. Além disso, como exame complementar, é necessário pedir ressonância magnética da região acometida pela siringomielia, para confirmar o diagnóstico, avaliar a sua extensão e definir o prognóstico e a conduta terapêutica. 

Tratamento

Quando o achado é incidental e a patologia não causa nenhum distúrbio neurológico no paciente, a conduta é meramente expectante, com acompanhamento clínico da evolução da condição. Entretanto, quando há presença de sintomas comprometendo o bom funcionamento da medula, é fundamental a realização de neurocirurgia para correção da siringomielia. 

Quando a doença se associa à malformação de Arnold-Chiari tipo 1, o procedimento de eleição é a descompressão da fossa posterior, com a realização de craniectomia suboccipital e laminectomia de C1. Se houver tumor levando à formação de siringes, faz-se necessária a ressecção da massa. Porém, algumas vezes, a única alternativa terapêutica é drenar a siringe para o espaço pleural.

Gostou do conteúdo que o Estratégia MED trouxe para você? Então não deixe de aproveitar as outras opções para estudo que preparamos para você! Se você vai se preparar para as principais e mais concorridas provas de Residência Médica do Brasil, então o Curso Extensivo do Estratégia MED é o seu principal aliado. 

Na plataforma do Estratégia MED, há videoaulas elaboradas especialmente para a preparação para a prova de Residência Médica, material completo e constantemente atualizado, banco com milhares de questões resolvidas, possibilidade de montar simulados e de estudar onde e quando quiser. Se interessou? Clique no banner abaixo e saiba mais. 

Coruja VIP

Você pode gostar também