Entidades médicas orientam para a imunização de afetados e equipes de resgate no Rio Grande do Sul
Foto: Gilvan Rocha/Agência Brasil

Entidades médicas orientam para a imunização de afetados e equipes de resgate no Rio Grande do Sul

Nota técnica tem como principal preocupação doenças transmitidas pela água

Foi elaborada na última sexta-feira (10) uma nota técnica conjunta entre a Sociedade Brasileira de Infectologia, a Sociedade Gaúcha de Infectologia e a Sociedade Brasileira de Imunizações cujo principal tópico de preocupação é a exposição da população à água de enchentes. Desta forma, as sociedades recomendaram a vacinação de pessoas afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul e das equipes envolvidas nas operações de busca e salvamento em todo o estado. Confira a nota conjunta clicando no botão abaixo:

Siga no texto e confira as principais diretrizes apresentadas pelas entidades na nota técnica. 

Orientações gerais e observações importantes

Cartão de vacinação

Crianças, adolescentes, adultos, idosos, gestantes e pacientes com condições de saúde comprometidas que tenham seu histórico vacinal disponível devem completar as doses necessárias de acordo com a idade ou condição clínica.

Por outro lado, crianças, adolescentes e adultos sem histórico documentado de vacinação devem ser considerados não vacinados e devem seguir as diretrizes recomendadas para a sua faixa etária.

Vacinas de rotina

Durante os períodos de enchentes, crianças e adolescentes sem histórico vacinal devem ser tratados como se estivessem em dia com as vacinas e devem receber apenas as doses recomendadas para a idade atual.

As famílias devem ser instruídas sobre a importância de comparecer a uma unidade de saúde posteriormente para revisão do histórico vacinal e avaliação da necessidade de atualização.

Gestantes

Gestantes devem receber vacinas inativadas especialmente recomendadas para indivíduos deslocados por desastres e enchentes, desde que não haja contraindicações para este grupo.

Contraindicações

Gestantes, pessoas com sistema imunológico comprometido ou em tratamento com imunossupressores não devem receber vacinas virais vivas atenuadas, tais como a vacina contra varicela, tríplice viral (contra sarampo, rubéola e caxumba), tetraviral (contra sarampo, rubéola, caxumba e varicela), vacina contra febre amarela e vacina contra dengue.

Crianças com condições de imunossupressão também não devem receber vacinas contra rotavírus e poliomielite oral. A triagem deve ser feita com base no autorrelato, de acordo com as entidades.

Soros e imunoglobulinas 

Devem ser usados em casos de necessidade imediata de proteção contra raiva e tétano, ou seja, quando não é possível esperar que o organismo produza anticorpos após as doses. Também são recomendados para gestantes e indivíduos imunocomprometidos em casos de contraindicação às vacinas vivas atenuadas.

BCG

A vacina BCG deve ser administrada apenas em unidades de saúde, pois requer um profissional capacitado para evitar eventos adversos graves. Idealmente, deve ser administrada logo após o nascimento, preferencialmente no ambiente hospitalar.

Aplicação concomitante de vacinas

A aplicação simultânea de vacinas é possível, desde que administradas em locais diferentes do corpo. No entanto, é necessário observar os intervalos específicos, dependendo das combinações de doses.

Por exemplo, a vacina contra a dengue, que é atenuada, não deve ser administrada no mesmo dia que qualquer outra vacina. Recomenda-se um intervalo de 24 horas para vacinas inativadas e 30 dias para vacinas vivas atenuadas.

Recomendação para imunizações

Além das vacinas administradas como parte dos programas de imunização de crianças, adolescentes, gestantes, adultos e idosos, as vacinas abaixo devem ser administradas a  indivíduos afetados pelas enchentes no Rio Grande do Sul e aos envolvidos nas equipes de resgate, exceto se portarem carteira de vacinação com registro das doses já realizadas.

Influenza 2024 e COVID-19

Todas as pessoas afetadas por enchentes ou envolvidas em operações de busca e salvamento, com 6 meses de idade ou mais, devem receber a vacina contra gripe e a vacina contra COVID-19, a menos que haja contraindicações.

Conforme o documento, as vacinas começam a fazer efeito aproximadamente duas semanas após a administração, portanto, outras medidas devem ser tomadas para mitigar a propagação desses vírus respiratórios.

Tríplice viral

A vacina contra sarampo, rubéola e caxumba deve ser administrada em todas as pessoas entre 12 meses e 59 anos afetadas por enchentes ou envolvidas em operações de busca e salvamento, a menos que haja contraindicações ou registro de vacinação na carteira.

As doses são importantes para prevenir surtos em abrigos e são recomendadas para todos que não foram vacinados com pelo menos uma dose.

Hepatite A

A vacina contra hepatite A é recomendada para todas as crianças aos 12 meses de idade ou até os 5 anos, se ainda não vacinadas. A vacina também é recomendada para pacientes imunodeprimidos e pessoas com doenças crônicas específicas.

No caso do Rio Grande do Sul, a recomendação se deve ao risco de surtos durante e após enchentes, quando há alta exposição ao vírus.

Tétano

No Rio Grande do Sul, adolescentes, adultos e idosos devem receber um reforço antitetânico se não foram vacinados nos últimos cinco anos ou se não têm registro de vacinação disponível.

As vacinas dT (difteria/tétano) ou dTpa (difteria/tétano/coqueluche acelular) podem ser usadas de acordo com as recomendações do Programa Nacional de Imunizações, sendo a dTpa indicada para grávidas a partir de 20 semanas de gestação e a dT para adolescentes, adultos e idosos. Na ausência de dT, a dTpa pode ser utilizada.

Crianças sem registro de vacinação contendo o componente antitetânico devem ser vacinadas com dT ou dTpa.

De acordo com o documento, em situações de inundação, o contato com água e objetos contaminados pode aumentar o risco de feridas e cortes, aumentando o risco de tétano.

Raiva

A imunização antirrábica deve ser reservada para a prevenção após exposição em situações de perigo de contrair raiva – por exemplo, após ser mordido por mamíferos, incluindo cavalos e gado, ou após contato com morcegos.

O protocolo pode envolver uma série de doses da vacina, juntamente com o uso de soro antirrábico, e deve ser administrado o mais rapidamente possível. No caso das enchentes, nas operações de resgate e interações com animais domésticos ou selvagens há o risco de exposição à raiva.

De qualquer modo, o uso rotineiro da vacina contra raiva não é recomendado, mesmo para aqueles envolvidos em operações de resgate. Deve ser reservado para casos de exposição à raiva, conforme os procedimentos médicos estabelecidos. É aconselhável que pessoas nessas circunstâncias busquem imediatamente assistência médica para avaliação.

Hepatite B

Todos os envolvidos em operações de resgate, profissionais de saúde, socorristas e voluntários devem ser vacinados. O número de doses necessárias varia de acordo com o histórico vacinal – pessoas sem registro de vacinação ou não vacinadas devem receber uma dose inicial e retornar para doses adicionais, se necessário.

Indivíduos com registros incompletos de vacinação devem completar o esquema, respeitando os intervalos recomendados entre as doses (0-2-6 meses), até a última dose.

Aqueles imunocompetentes que tenham recebido as três doses completas não precisam de doses adicionais.

Pessoas com imunossupressão, como pacientes com HIV, independentemente do nível de CD4; aqueles com doença hepática crônica; pacientes renais crônicos; portadores de câncer; receptores de transplantes de órgãos ou células-tronco hematopoiéticas; e indivíduos com doenças autoimunes tratadas com imunossupressores potentes, entre outros, devem receber uma dose de reforço da vacina.

Febre Tifoide

A vacinação contra a febre tifoide é recomendada para socorristas, se disponível, devendo ser administrada uma dose.

Confira mais orientações no documento oficial divulgado pelas entidades: Nota técnica conjunta da Sociedade Brasileira de Infectologia, Sociedade Gaúcha de Infectologia e Sociedade  Brasileira de Imunizações: recomendações de imunização para pessoas em situação de enchentes no Rio Grande do Sul

No Portal de Notícias do Estratégia MED você confere muitos outros artigos e dados úteis dentro da medicina. Continue acompanhando o Portal de Notícias do Estratégia MED para mais informações sobre processos seletivos de residência médica, revalidação de diplomas em Medicina, além de novidades da área médica.

Combos

Combo Três Sprints (Leve 5) - Reta Final

Com os Sprints Residência Médica, você terá a oportunidade de acelerar os seus estudos rumo à aprovação em 2023. Por meio da resolução de questões inéditas baseadas no modelo de cada banca, as suas chances de aprovação irão aumentar significativamente. Por isso, se você quer a aprovação no ENARE, USP-SP, SUS-SP, SUS-BA, SURCE, AMRIGS, etc., ainda em 2023, esta é a melhor solução. Isso porque o Sprint EMED foi pensado para que você direcione os seus esforços, saiba o passo a passo do que priorizar na reta final e utilize o seu tempo de estudos de forma inteligente.
12x R$ 219,80
No Cartão de Crédito ou 10% de desconto no Boleto ou Pix à vista: R$ 2.373,84
Promoção válida até: 30/05/2024

Saiba mais

Combo Dois Sprints (Leve 3) - Reta Final

Com os Sprints Residência Médica, você terá a oportunidade de acelerar os seus estudos rumo à aprovação em 2023. Por meio da resolução de questões inéditas baseadas no modelo de cada banca, as suas chances de aprovação irão aumentar significativamente. Por isso, se você quer a aprovação no ENARE, USP-SP, SUS-SP, SUS-BA, SURCE, AMRIGS, etc., ainda em 2023, esta é a melhor solução. Isso porque o Sprint EMED foi pensado para que você direcione os seus esforços, saiba o passo a passo do que priorizar na reta final e utilize o seu tempo de estudos de forma inteligente.
12x R$ 186,46
No Cartão de Crédito ou 10% de desconto no Boleto ou Pix à vista: R$ 2.013,84
Promoção válida até: 30/05/2024

Saiba mais

Todos os Sprints de Reta Final para Residência Médica (+10.000 questões!)

Com o Combo Todos os Sprints de Reta Final para Residência Médica, você garantirá mais de dez mil questões inéditas para praticar, estudando de forma focada para a instituição do seu interesse e por um preço superespecial.
12x R$ 366,46
No Cartão de Crédito ou 10% de desconto no Boleto ou Pix à vista: R$ 3.957,84
Promoção válida até: 30/05/2024

Saiba mais
Você pode gostar também