Obstrução Intestinal: o que é, sintomas e muito mais!

Obstrução Intestinal: o que é, sintomas e muito mais!

Quer descobrir tudo sobre a obstrução intestinal? O Estratégia MED separou para você as principais informações sobre o assunto. Acompanhe este texto e descubra!

O que é obstrução intestinal?

A obstrução intestinal é uma condição onde há falha da progressão normal do conteúdo intestinal, de maneira que ela ocorre após qualquer impedimento deste bom funcionamento, seja pela presença de algo que o impeça fisicamente, como uma massa, ou haja uma disfunção da peristalse intestinal. 

Trata-se de uma causa relativamente comum de urgência médica e se não for manejada adequadamente, pode levar o paciente a óbito em cerca de 6 a 8% dos casos. 

Causas de obstrução intestinal

Causas de obstrução intestinal

É possível dividir a obstrução intestinal em dois grupos:

  1. Obstrução mecânica; e 
  2. Obstrução funcional.

A obstrução mecânica ocorre por algum impedimento físico que leva a redução da luz intestinal, impedindo o fluxo de seu conteúdo. As principais causas desse tipo de obstrução são hérnias externas e internas, bridas após procedimentos cirúrgicos, câncer, diverticulite e intussuscepção intestinal.

Por outro lado, a obstrução funcional é aquela que não têm nenhum fator mecânico atrapalhando o bom prosseguimento do conteúdo intestinal. As principais são o íleo adinâmico e a pseudo-obstrução intestinal.

O íleo adinâmico ou íleo paralítico é a parada temporária do peristaltismo intestinal, ocorre com frequência em cirurgias abdominais, nas quais têm manipulação das alças intestinais. Outras causas são inflamação intraperitoneal ou retroperitoneal, como apendicite, diverticulite, hematomas retroperitoneais ou retroperitoneais, hipopotassemia e medicamentos, como opióides.

A pseudo-obstrução intestinal emula uma obstrução intestinal mecânica, porém não é identificado nenhum ponto físico de obstrução, nem história compatível com a ocorrência de íleo paralítico. Ocorre devido ao mau funcionamento da musculatura lisa do intestino e pode acometer qualquer porção do intestino.

Sintomas de obstrução intestinal

Os principais sintomas são cólicas abdominais, náuseas, vômitos, distensão abdominal e obstipação. Quando a obstrução não é total, o paciente pode ter diarreia. Quando há dor intensa e contínua, é indicativo de estrangulamento do intestino. Em casos graves, o paciente pode entrar em choque.

Como fazer o diagnóstico?

O diagnóstico se inicia com uma anamnese cuidadosa, procurando na história clínica do paciente fatores de risco para a ocorrência de abdome agudo obstrutivo. No exame físico, é fundamental fazer o exame abdominal completo, com inspeção, ausculta, palpação e percussão.  Também é necessário avaliar a hemodinâmica do paciente, para observar sinais de choque. 

Alguns exames complementares podem ajudar no esclarecimento diagnóstico, como radiografias com o paciente em pé e deitado, capazes de mostrar as alças intestinais distendidas com presença de gás. Em volvo de ceco e sigmóide, é possível realizar enema contrastado para observar a obstrução. Outro exame relevante na obstrução intestinal é a tomografia computadorizada de abdome. No entanto, há situações em que é preciso realizar laparotomia ou laparoscopia para conclusão diagnóstica.

Tratamento

Pacientes com obstrução intestinal devem ser internados para tratamento de suporte à obstrução intestinal. Inicialmente, pode ser realizada aspiração nasogástrica e reposição de volume por via endovenosa, com soro fisiológico ou ringer lactato. Em caso de vômitos repetidos, pode haver desequilíbrio eletrolítico, de modo que sódio e potássio devem ser monitorizados laboratorialmente e, se houver hiponatremia ou hipocalemia, as medidas clínicas correspondentes devem ser tomadas.

A maioria dos pacientes com abdome agudo obstrutivo precisarão passar por procedimento cirúrgico, com ressecção da área afetada pela obstrução. Pacientes com bridas pós-cirúrgicas podem inicialmente ser tratados com intubação por uma longa sonda intestinal, quando não há sinais de irritação peritoneal. Quando houver câncer colorretal muito disseminado, no qual a ressecção total seja impossível, é preciso realizar passagens secundárias por cirurgia ou colocando stents para o alívio dos sintomas obstrutivos.

Gostou do conteúdo que o Estratégia MED trouxe para você? Então não deixe de aproveitar as outras opções para estudo que preparamos para você! Se você vai se preparar para as principais e mais concorridas provas de Residência Médica do Brasil, então o Curso Extensivo do Estratégia MED é o seu principal aliado. 

Na plataforma do Estratégia MED, há videoaulas elaboradas especialmente para a preparação para a prova de Residência Médica, material completo e constantemente atualizado, banco com milhares de questões resolvidas, possibilidade de montar simulados e de estudar onde e quando quiser. Se interessou? Clique no banner abaixo e saiba mais. 

Coruja VIP

Você pode gostar também