Protozoários: o que são, tipos e doenças!

Protozoários: o que são, tipos e doenças!

Quer saber mais sobre os protozoários? O Estratégia MED preparou esse texto para você com as informações mais importantes sobre o assunto.

O que são protozoários?

Os protozoários são seres vivos que pertencem ao reino Protista, um dos 5 reinos utilizados para classificar os organismos vivos. Dessa forma, eles, obrigatoriamente, possuem as 8 características essenciais comuns a todos os seres vivos: 

  • Celularidade: possuir células, independentemente da quantidade ou complexidade delas;
  • Metabolismo: o ser vivo precisa ser capaz de realizar diversas reações químicas dentro da célula, para manter o correto funcionamento delas, como anabolismo e catabolismo;
  • Capacidade de reprodução: todos os seres vivos precisam ter a capacidade de reprodução. Isso pode acontecer de diversas formas, como assexuada e sexuada;
  • Composição química: os seres vivos são formados por elementos químicos comuns como hidrogênio, oxigênio, nitrogênio e carbono, principalmente;
  • Evolução: através das mutações que acontecem no material genético dos seres vivos;
  • Resposta a estímulos: por meio de uma característica conhecida como irritabilidade, os seres vivos apresentam respostas aos variados estímulos ambientais;
  • Crescimento: sofre transformações ao longo do seu ciclo de vida; e
  • Material genético: possui material genético em sua composição, o que garante o sucesso da reprodução por meio da hereditariedade. 

Além disso, os protozoários são eucariontes, unicelulares e, normalmente, microscópicos. Vale ressaltar que a maioria deles não são organismos autotróficos, uma característica importante que contribui para o parasitismo. 

Quais as características dos protozoários?

Os protozoários podem parasitar o ser humano, causando diversas doenças. Entretanto, grande parte deles apresenta hábito de vida livre, relacionada, principalmente, ao meio aquático.

A principal forma de reprodução dos protozoários é assexual, que ocorre por cissiparidade, gerando duas células iguais, ou por divisão múltipla, quando um único protozoário se divide formando vários organismos. A reprodução sexual, com troca de material genético, pode ocorrer principalmente por conjugação, mas é pouco frequente.

Estruturalmente, a forma e a resistência apresentada por esses organismos deve-se à ação da membrana celular e do citoesqueleto. Os protozoários podem possuir estruturas responsáveis pela locomoção, como os cílios, flagelos e os pseudópodes, que são importantes na classificação deles em grupos. 

Uma estrutura importante presente em alguns protozoários são os vacúolos pulsáteis, que agem para regular a osmolaridade celular, principalmente nos organismos que têm a água salgada como habitat.

Tipos de Protozoários

Dentro da medicina, a principal classificação utilizada para os protozoários, refere-se à presença e ao tipo das estruturas que eles utilizam para locomoção. Os principais tipos são:

Ciliados

Nesse grupo, a principal característica é a locomoção por meio dos cílios, que são estruturas presentes em grande quantidade, porém são mais curtos se comparados aos flagelos. O principal representante desse grupo é o paramécio, um organismo de vida livre.

Os ciliados apresentam poucos representantes patogênicos para o humano. O principal deles é a espécie causadora da balantidiose, o Balantidium coli, que parasita o intestino grosso e é transmitido pela ingestão de alimentos e água contaminados com cistos do protozoário.

Esporozoários

Os esporozoários são protozoários capazes de se reproduzirem por meio de esporos. Esse filo é considerado parasita obrigatório, já que não possui estrutura adaptada para a locomoção. Os principais representantes desse grupo são os plasmódios, relacionados à malária, e o Toxoplasma gondii, esporozoário causador da toxoplasmose.

Flagelados

Os protozoários flagelados, ou mastigóforos, são aqueles que utilizam o flagelo para locomoção. Tal estrutura possui forma de chicote e pode estar presente em mais de um, no mesmo protozoário.

Esse grupo possui grande relevância médica e algumas de suas espécies são: Giardia lamblia ou Giardia intestinalis, causadores da giardíase; Trichomonas vaginalis, causador da tricomoníase; Trypanosoma cruzi, causador da doença de Chagas; Leishmania tropica e Leishmania donovani, protozoários causadores da leishmaniose.

Rizópodes

Os protozoários classificados como rizópodes ou amebóides locomovem-se utilizando os pseudópodes. Esses ‘falsos pés’ são estruturas formadas pelo prolongamento citoplasmático da célula e também apresentam função relevante para o processo de endocitose.

As amebas são os organismos clássicos na representação desse grupo e são as agentes causadoras da amebíase, uma doença responsável pela morte de mais de 100.000 pessoas por ano. Além da Entamoeba histolytica e Entamoeba coli, principais causadoras da amebíase, a Naegleria fowleri também é patogênica para o homem, podendo causar meningoencefalite amebiana primária. 

Quais as doenças causadas pelos protozoários

Os protozoários podem causar diversas doenças no ser humano, algumas delas com elevada mortalidade. As principais patologias que têm como agentes causadores os protozoários são divididas pela sua localização no corpo do paciente e são:

  • Trato urogenital: tricomoníase;
  • Trato gastrointestinal: amebíase, disenteria, ciclosporíase, isosporose, giardíase e criptosporidiose; e
  • Sangue e tecidos: doença de Chagas, doença do sono, leishmaniose Calazar, leishmaniose cutânea, malária, toxoplasmose, meningite, babesiose e, até mesmo, pneumonia.

Diagnóstico

O diagnóstico das protozooses é feito, normalmente, por exames laboratoriais que permitam constatar a presença do parasita ou que sugerem a infecção do paciente por ele. Os principais exames utilizados são:

  • Exame de fezes: permite a verificação da presença de protozoários nas fezes. É utilizado principalmente na suspeita de infecção por uma das espécies que infectam o trato gastrointestinal;
  • Exame microscópico: principalmente o esfregaço sanguíneo com coloração que permita a visualização do protozoário, é indicado para o diagnóstico de protozooses do sangue ou tecidos; e 
  • Exame de sangue: permitem o achado de anticorpos específicos para as doenças causadas por protozoários.

Outros exames como biópsias, no caso de protozooses que cursam com manifestação cutânea, como a leishmaniose, e exames de imagem podem ajudar no diagnóstico.

Gostou do conteúdo? No blog do Estratégia MED tem muito mais temas preparados para você! Caso esteja se preparando para prestar as provas de Residência Médica ou Revalida, o Banco de Questões MED e o Curso Extensivo para R1 e Revalida do Estratégia MED podem lhe ajudar muito! Clique no banner e confira:

Coruja VIP

Você pode gostar também