Pulmão: anatomia, função, doenças e mais!

Pulmão: anatomia, função, doenças e mais!

Quer saber mais sobre o pulmão? O Estratégia MED separou os principais tópicos do assunto para você! Vamos lá!

Inscreva-se em nossa newsletter!

Receba notícias sobre residência médica e revalidação de diplomas, além de materiais de estudo gratuitos e informações relevantes do mundo da Medicina.

O que é o Pulmão?

O pulmão é um importante órgão humano, relacionado com a respiração. O ser humano possui dois pulmões, um em cada lado do corpo. Eles estão localizados no Tórax, ocupando grande parte desse compartimento anatômico. O volume desses órgãos, no indivíduo adulto, pode chegar a 6L, os quais, em uma pessoa saudável, são preenchidos por ar. 

Os pulmões são revestidos por uma dupla membrana chamada pleura, uma estrutura de vital importância para que o pulmão realize corretamente sua função na respiração. Para isso também, eles são subdivididos em unidades funcionais menores, os alvéolos, que funcionam como pequenos sacos para armazenar o ar inalado.

O tecido pulmonar funcional é basicamente composto por duas células diferentes: o pneumócito tipo 1 e o pneumócito tipo 2. Os primeiros são responsáveis pela estruturação e troca gasosa, compondo mais de 90% da área alveolar. Já o segundo tipo tem a função de produzir surfactante.

Qual a função?

O pulmão é o órgão mais importante do sistema respiratório, logo, sua função principal está relacionada à respiração. Ele é responsável por realizar a troca gasosa, na qual o ar inspirado permite que o sangue receba O2 e elimine CO2. Dessa forma, ele age contribuindo com a distribuição do oxigênio a todas as células e tecidos do corpo.

Anatomia 

Os pulmões são segmentados em porções funcionalmente independentes. Cada um desses segmentos menores é chamado de lóbulo — que compõe os lobos, porções maiores — e recebe o suprimento sanguíneo pelos vasos segmentares e o ar pelos brônquios segmentares. 

Algumas doenças, como câncer, podem fazer com que uma dessas porções não funcione corretamente, ela então pode ser removida, sem alterar o resto do funcionamento pulmonar.

Boa parte da anatomia pulmonar é compartilhada entre pulmão esquerdo e direito. Ambos possuem:

  • Ápice: porção mais superior. É uma extremidade arredondada;
  • Base: porção mais inferior do pulmão, está em contato íntimo com o músculo diafragma, que separa a cavidade torácica da cavidade abdominal. Sua face inferior é côncava por conta da acomodação da cúpula diafragmática;
  • Faces: ambos os pulmões possuem 3 faces. A primeira, maior de todas, em contato com as costelas, a costal; a segunda é inferior e relaciona-se com o diafragma, a diafragmática; e a terceira é a chamada mediastinal, que está em contato com o mediastino — cavidade central do tórax que abriga o coração e os grandes vasos.

Diferença do Pulmão esquerdo para o direito?

Além das características anatômicas compartilhadas por ambos os pulmões, existem características exclusivas da anatomia de cada um deles. As principais diferenças estão na segmentação e no hilo pulmonar.

Pulmão direito

  • É maior que o esquerdo;
  • Dividido em 3 lobos, são eles: lobo superior, lobo médio e lobo inferior; 
  • Na formação de seu hilo, os brônquios lobares e o brônquio principal estão localizados mais posteriormente; as veias pulmonares são anteriores e inferiores, e as artérias pulmonares ocupam a porção central e superior do hilo; e
  • Possui 2 fissuras que delimitam seus lobos, a fissura horizontal e a fissura oblíqua direita.

Pulmão esquerdo:

  • É menor por conta de sua íntima relação com o coração, que acaba diminuindo o volume pulmonar esquerdo;
  • Dividido em apenas 2 lobos: lobo superior e lobo inferior;
  • Na formação de seu hilo, as artérias pulmonares ocupam a porção mais superior; as veias a porção anterior e inferior, e o brônquio principal esquerdo localiza-se na porção mais central desse hilo; e
  • Possui apenas 1 fissura, a fissura oblíqua esquerda, que faz a separação entre seus lobos.

Doenças no Pulmão

Diversas doenças podem acometer os pulmões. Elas podem ser infecciosas, como a pneumonia e a tuberculose, causadas por bactérias. Doenças genéticas podem ter manifestações pulmonares, como a fibrose cística.

Curso Extensivo Residência Médica

Veja também:

Você pode gostar também