ResuMED de psicofarmacologia

ResuMED de psicofarmacologia

A psiquiatria é uma área ampla e fascinante, na qual nos deparamos com os mais variados tipos de pacientes. Ao estudarmos seus temas a fundo, observamos que as principais linhas de tratamento englobam o tratamento não farmacológico, entretanto, majoritariamente veremos a linha farmacológica com elevado destaque. Dessa forma, leia o texto a seguir, pois iremos abordar tudo a respeito da psicofarmacologia!

Antidepressivos

Ao tocarmos no assunto psicofarmacologia devemos sempre começar pela linha de remédios que são as mais usadas e mais famosas: os antidepressivos! Vamos a eles, um a um, por seus diversos mecanismos de ação. 

Inibidores da recaptação de serotonina

Como seu próprio nome sugere, os ISRS (Inibidores Seletivos da Recaptação de Serotonina) são medicamentos que agem na fenda sináptica proporcionando maior concentração do neurotransmissor serotonina. Eles são a primeira linha de tratamento para quadros de transtornos depressivos e transtornos ansiosos. 

Os principais medicamentos dessa classe são: 

  • Citalopram;
  • Escitalopram;
  • Fluoxetina;
  • Paroxetina;
  • Sertralina; e
  • Fluvoxamina.

Antidepressivos duais

Os antidepressivos duais são aqueles que inibem a recaptação de serotonina e noradrenalina. Também são medicamentos de primeira linha, utilizados em transtornos depressivos e ansiosos. 

Os principais medicamentos dessa classe são: 

  • Venlafaxina;
  • Desvenlafaxina
  • Duloxetina.

Antidepressivos tricíclicos

Os antidepressivos tricíclicos agem através do bloqueio da recaptação de serotonina e noradrenalina. Também apresentam ação anticolinérgica, anti-histaminérgica, entre outras. São medicamentos mais antigos e, por seu efeito amplo, apresentam efeitos colaterais que são bastante cobrados nas provas de acesso de residência médica. 

Principais efeitos colaterais: 

  • Piora cognitiva e risco de delirium; 
  • Retenção urinária;
  • Sedação;
  • Risco de hipotensão; e 
  • Alargamento do intervalo PR ou QT. 

Antidepressivos atípicos

Apresentam tal nome por não agirem na serotonina. De maneira geral, tem como característica marcante não prejudicar a libido. 

Os principais medicamentos dessa classe são: 

  • Bupropiona;
  • Mirtazapina; e
  • Trazodona.

Efeitos colaterais dos antidepressivos

Além dos efeitos positivos dos medicamentos, quando estudamos a psicofarmacologia iremos abordar os efeitos colaterais. São importantes já que eles irão determinar a escolha de medicamento dentro da variedade de opções. 

Os principais efeitos colaterais que devemos citar são o ganho de peso e piora do perfil metabólico. De forma geral, eles ocorrem com quase todas as classes, com exceção da bupropiona. 

Um efeito adverso que devemos a todo custo evitar, e está relacionado à dose empregada, é a síndrome serotoninérgica. Ela ocorre quando há excesso desse hormônio e tem como principais sintomas a mioclonia, tremores, sudorese e hipertermia. O seu tratamento é de suporte clínico. 

Estabilizadores do humor

Os estabilizadores de humor são uma classe de medicamentos utilizados em pacientes com episódios de depressão e/ou quadros de mania ou hipomania. 

Veremos que muitos desses medicamentos também são utilizados mais classicamente como anticonvulsivantes. 

Lítio

É o medicamento de primeira linha para pacientes com TAB (Transtorno Afetivo Bipolar) por apresentar propriedades que auxiliam nos sintomas de mania e nos sintomas depressivos. 

Devemos sempre ressaltar os principais eventos adversos associados ao lítio que são: hipotireoidismo, diabetes insipidus nefrogênico e insuficiência renal aguda. Apresenta elevado grau de efeitos colaterais renais em decorrência de sua farmacocinética, na qual é excretado pela urina totalmente não metabolizado. 

Valproato

O ácido valpróico, ou valproato, também é um medicamento de primeira linha para pacientes com transtorno afetivo bipolar. Trata-se de um medicamento com ação anticonvulsivante.  Apresenta como principais efeitos colaterais sintomas associados a ganho de peso, queda de cabelo e elevação transitória de enzimas hepáticas. É contraindicado durante a gestação. 

Carbamazepina

A carbamazepina é outro anticonvulsivante utilizado como estabilizador de humor. Consideramos seu uso como de segunda linha em decorrência de seu maior perfil de efeitos colaterais, com maior ação hepatotóxica e interações medicamentosas. Seus principais efeitos colaterais são náusea e vômitos, porém quando mais graves podemos ter anemia aplástica, hepatite medicamentosa e até Síndrome de Stevens-Johnson.

Lamotrigina

Por último, mas não menos importante, temos a lamotrigina. Também um anticonvulsivante com ação importante em pacientes com transtorno afetivo bipolar, principalmente para controle dos episódios de mania. Trata-se de um remédio com poucos efeitos adversos, contudo sua introdução deve ser cautelosa pelo risco elevado de farmacodermias. 

Antipsicóticos

Os medicamentos antipsicóticos são úteis no tratamento de transtornos antipsicóticos ou de heteroagressividade. Seu mecanismo de ação está relacionado ao bloqueio das vias dopaminérgicas, com intuito de bloqueio das vias mesolímbica e mesocortical.

Nós dividimos os medicamentos antipsicóticos em típicos e atípicos com relação ao quão forte é seu bloqueio nos receptores dopaminérgicos. Os típicos apresentam maior bloqueio, por conseguinte, observamos mais efeitos colaterais com seu uso. 

Antipsicóticos típicos

  • Clorpromazina;
  • Haloperidol; e
  • Levomepromazina.

Antipsicóticos atípicos

  • Clozapina;
  • Olanzapina;
  • Quetiapina; e
  • Risperidona.

Devemos ressaltar que os antipsicóticos atípicos apresentam como efeito colateral uma piora do perfil metabólico e aumento da resistência insulínica. Tais efeitos devem ser levados em consideração no seu uso no longo prazo. 

Efeitos colaterais dos antipsicóticos

Estudando a psicofarmacologia dos antipsicóticos, devemos sempre lembrar também sobre seus principais efeitos colaterais, além daqueles ressaltados de piora do perfil metabólico. 

Tais efeitos colaterais estão sempre relacionados ao bloqueio dopaminérgico em vias que não a mesolímbica e mesocortical. Vamos a elas: 

  • Síndrome extrapiramidal: sensação de inquietação e sintomas parkinsonianos com tremores, distonia e acatisia. 
  • Hiperprolactinemia: aumento da secreção de prolactina pela adenohipófise.
  • Discinesia tardia: presença de movimentos buco mastigatórios involuntários
  • Síndrome Neuroléptica Maligna: reação grave e potencialmente fatal, seus sintomas incluem hipertermia e rigidez intensa. O tratamento inclui agonistas dopaminérgicos como bromocriptina e relaxantes musculares como dantrolene.

Psicofarmacologia nas emergências psiquiátricas

No contexto de emergências psiquiátricas devemos sempre pensar na agitação e agressividade dos pacientes. De forma geral, os medicamentos utilizados são os antipsicóticos, sedativos ou até benzodiazepínicos. Vamos citá-los a seguir: 

  • Haloperidol: antipsicótico de alta potência, podendo ser administrado por via oral ou intramuscular. 
  • Clorpromazina: antipsicótico de baixa potência, com efeito sedativo após 30 minutos de sua administração. Considerado de segunda linha pelo seu risco cardiovascular
  • Prometazina: efeito sedativo importante, sem efeito antipsicótico relevante. 
  • Midazolam: benzodiazepínico de ação rápida e meia-vida curta. Pode ser administrado por via oral ou via intramuscular. 
  • Diazepam: benzodiazepínico de meia-vida longa, e de preferência administrado por via oral. Não devemos aplicar por via intramuscular. 

Aprendeu tudo sobre psicofarmacologia, futuro residente? Para mais conteúdo como esse e um enorme banco de questões acesse nosso site e faça parte da nossa equipe! 

CTAs - Black November 2022 - Ultimo Lote

Veja também:

Referências bibliográficas

Universidade de São Paulo

Você pode gostar também