Análise do currículo para residência USP SP: como se preparar?

Análise do currículo para residência USP SP: como se preparar?

Fala, futuro residente! A prova para Residência Médica da USP SP 2022 está logo aí e uma das suas etapas é a análise e arguição curricular. Por isso, se você quer saber como preparar um currículo completo para o seletivo USP SP, continue nesse texto do Estratégia MED!

Análise do currículo USP SP

A análise e arguição de currículo corresponde à 2ª etapa do seletivo da USP SP 2022, obrigatória para todos os 94 programas oferecidos e sua aplicação é de inteira responsabilidade das especialidades oferecidas. Para esse ano, a fase terá peso 1 e sua pontuação varia de 0 a 100.

Essa fase será realizada de forma presencial ou online, entre os dias 10 e 14 de janeiro de 2022, porém as informações de seu currículo devem ser enviadas com antecedência, do dia 8 de dezembro de 2021 até o dia 3 de janeiro de 2022, quando será disponibilizado um link, na plataforma da FMUSP e Tekyou, para o preenchimento do currículo. Assim que finalizado, o candidato deve imprimir ou gerar um PDF do que foi cadastrado no sistema para usar como comprovante. Também é necessário que o inscrito imprima ou guarde o protocolo de recebimento, gerado pelo sistema.

Os documentos comprobatórios sobre as informações que estão no currículo devem ser enviados para os respectivos programas, caso a etapa seja realizada de forma virtual. Já nas análises e arguições presenciais, os candidatos precisarão entregar esses documentos presencialmente, juntamente com o PDF do currículo preenchido gerado pelo sistema.

Para saber em qual dia será avaliado, continue nesse texto do EMED, porque nós separamos tudo, nos mínimos detalhes, para você!

Datas da análise do currículo USP SP 2022

Por ofertar  mais de 90 programas, a 2ª fase do seletivo USP SP 2022 ocorrerá em 5 dias diferentes, como detalhamos anteriormente. Por isso, cada especialidade terá uma data e horário diferente de aplicação

Pensando na sua organização, nós do Estratégia MED, preparamos um documento completo, no qual você poderá conferir o dia, horário e local em que irá fazer sua análise e arguição curricular.

Para os programas que optaram por realizar a análise de forma online, será obrigatório a apresentação ou confirmação do número de seu documento cédula de identidade. Já aqueles que farão de maneira presencial, é mandatório portar algum dos seguintes documentos:

  • Cédula de Identidade; ou
  • Carteira Nacional de Habilitação, com foto; ou
  • Passaporte ou; 
  • Carteira do Registro no Conselho Regional de Medicina.

Critérios de Avaliação

Os critérios considerados na análise e arguição curricular variam acordo com os programas oferecidos. Porém, os três grandes tópicos que abrangem todos os programas são:

  • Critérios relacionados à instituição de ensino de origem do candidato (+ aqueles relacionados à instituição onde o candidato cursou o pré-requisito, para programas com Pré-Requisito);
  • Critérios relacionados ao próprio currículo (atividades extracurriculares, publicações, línguas estrangeiras etc) e; 
  • Avaliação da arguição, se o candidato está sendo coerente com o que fala e o que está no Curriculum Vitae, a clareza com que fala e sua objetividade.

Dicas para a Análise e Arguição Curricular

Agora que você já sabe todos os detalhes de como será essa 2ª etapa do seletivo 2022 da USP SP, nada melhor do que conferir as dicas de um especialista do EMED, não é mesmo? Quem traz as dicas para você é o professor de Ginecologia do Estratégia MED, Carlos Eduardo, formado pela Faculdade de Medicina da USP SP, residente de ginecologia e obstetrícia pela mesma instituição e também ex-preceptor. 

Antes de tudo, é importante ressaltar que o aluno, ao entrar na faculdade, não deve se prender ao currículo, como ele vai se encaixar nessa fase da residência, mas focar na sua graduação, aproveitando todas as oportunidades que o curso tem a oferecer, explica o professor. 

“O aluno tem que ter em mente que ele deve tentar aproveitar ao máximo o que a faculdade oferece. Seja do ponto de vista acadêmico ou participando de atividades extracurriculares”. 

Ou seja, futuro residente, se você faz aquilo que gosta dentro da faculdade, o seu currículo, consequentemente, se tornará completo e rico. Porém, caso você se sinta mais seguro sabendo o que realmente precisa constar no seu currículo, a dica que o professor Carlos nos dá é: preste muita atenção nas particularidades do programa escolhido.

“Algumas especialidades acabam privilegiando atividades na própria área. No meu caso, eu tinha muita certeza de que gostava de clínica médica, então eu não fiz nada na faculdade dessa especialidade, realizei outras atividades para ver se não gostava. Acabou que meu currículo para as outras áreas era muito maior do que para clínica, área que no final nem acabei prestando, por isso que você não precisa focar apenas no preenchimento do seu currículo, já que as coisas na graduação mudam muito”.

Fora isso, o professor do EMED lista para você alguns tópicos do currículo que, com certeza, serão analisados pela USP SP. Confira: 

  • Iniciação científica;
  • Monitoria;
  • Participação em congressos;
  • Cursos; e 
  • Atividades práticas

Mas, lembre-se, não se prenda apenas neles

Mais um ponto-chave, candidato! Faça o seu currículo de uma forma que seja de fácil leitura, pense que os avaliadores verão centenas de arquivos, então distribua as informações de maneira clara e direta, evidenciando os pontos mais importantes, ou seja, destaque os pontos principais em negrito, foque nas palavras-chave e use bullet points para organizar as informações.

Por fim, ao falarmos sobre a arguição, a primeira dica que temos para você é: conheça o serviço do local onde vai trabalhar. “É interessante você se informar, então vamos supor que você vá prestar cirurgia: se pergunte qual é a área mais forte desse serviço? É em trauma, emergência? Converse com as pessoas que trabalham ali para saber quais são as prioridades e o que eles gostam”, explica Carlos.

Outro ponto importante, que você, futuro residente, deve estar preparado é para as perguntas e provocações que irão fazer sobre a instituição de sua graduação, principalmente se você não se formou pela faculdade que está prestando residência. Podem surgir perguntas como: fale mais como foi o seu processo de formação, se havia hospital próprio, como foi o internato etc. Por isso, conheça bem sua graduação e já esteja  os documentos comprobatórios em mãos, caso seja necessário recordar alguma informação, como carga-horária de curso, nome de professor orientador de grupo de estudos, entre outras informações.

Para fechar com chave de ouro, o professor Carlos reforça:

“A dica que sempre dou é: não dependa da análise curricular e da arguição. Essa etapa vale 10% da sua nota, então, se você foi bem na primeira fase, não precisará ficar tão nervoso para a fase do currículo, já que esse pode ser o maior desafio para o aluno de medicina que não está tão familiarizado com entrevistas”.

Então, caro futuro residente, conheça bem as instituições, formatos de prova e conteúdos mais exigidos pelos seletivos acompanhando os conteúdos do blog. E, se você quiser uma ajuda mais personalizada para a entrevista, nossos cursos Extensivo e Intensivos contam com uma psicóloga e com mentorias com professores que conhecem muito bem as instituições e bancas examinadoras. Vem ser Coruja e fique ainda mais perto da residência dos seus sonhos!

Você também pode se interessar por:

Você pode gostar também