Resumo sobre Clamídia: manifestações clínicas, diagnóstico, tratamento e mais!

Resumo sobre Clamídia: manifestações clínicas, diagnóstico, tratamento e mais!

Quer saber mais sobre a clamídia, quais os sintomas, como diagnosticar e tratar? Acompanhe o artigo que o Estratégia MED preparou especialmente para você, futuro residente!

Dicas do Estratégia para provas

Se precisar focar nos pontos principais, 

  • Causas da clamídia
  • Quadro clínico
  • Tratamento

Definição da doença

A clamídia é uma infecção sexualmente transmissível causada pela Chlamydia trachomatis que pode causar uretrite e epididimite em homens e vaginite, uretrite, cervicite e doença inflamatória pélvica em mulheres. Em ambos os sexos, pode causar, proctite, linfogranuloma venéreo e artrite reativa. 

Gestantes podem transmitir para os fetos a Chlamydia trachomatis, o que provoca nos recém-nascidos conjuntivite e pneumonia neonatal (pneumonia afebril do lactente).

Epidemiologia e fisiopatologia da Clamídia

A clamídia é uma doença muito presente em todo mundo. Nos EUA, é o segundo organismo mais prevalente entre todas as ISTs e é bastante comum entre jovens com menos de 25 anos

Essa bactéria é intracelular obrigatória, de modo que para sua sobrevivência depende do hospedeiro. Ela infecta células epiteliais e os sintomas refletem essa infecção, resultando em descarga mucopurulenta ou secreções. Esses tecidos podem também se apresentar edemaciados e hiperemiados.  

Manifestações clínicas da clamídia

Em muitos casos, a clamídia pode ser assintomática. Porém, nos homens, a doença pode se manifestar com disúria – dor ou ardência ao urinar -, corrimento uretral com secreção purulenta e dor testicular

Nas mulheres, os sintomas podem ser presença de corrimento amarelado, sangramento uterino anormal, dispareunia, disúria e dor à mobilização do colo uterino

Diagnóstico de clamídia

O exame de escolha para detectar a infecção por clamídia é o NAAT – teste de amplificação de ácido nucleico. Deve ser feito em esfregaço vaginal nas mulheres ou em amostra de urina de homens. No caso de suspeita de proctite, deverá ser coletado esfregaço retal.

Tratamento da clamídia

O tratamento da infecção por clamídia é feito com antibióticos, sendo que pode ser escolhido algum dos esquemas terapêuticos abaixo:

  1. Azitromicina 500 mg, 2 comprimidos, via oral, em dose única; ou
  2. Doxiciclina 100 mg, via oral, 2 vezes ao dia, durante 7 dias (exceto em gestantes); ou
  3. Amoxicilina 500 mg, via oral, 3 vezes ao dia, durante 7 dias.

No caso da conjuntivite neonatal, é preciso que o tratamento seja feito de forma imediata, pois essa condição, se não tratada, pode levar à perda de visão. Recomenda-se o tratamento com eritromicina oral, em dose de 50 mg/kg por dia durante 14 dias. 

Já a pneumonia afebril do lactente pode ser tratada com o mesmo esquema da conjuntivite ou com azitromicina 20 mg/kg por via oral ou intravenosa, uma vez ao dia, durante 3 dias. 

Prevenção

A principal forma de prevenção da infecção por clamídia é uso de preservativos nas relações sexuais. Para se evitar a transmissão vertical, é importante rastrear a infecção por clamídia em mulheres gestantes, em especial as com menos de 25 anos. 

Coruja VIP

Veja também:

Referências bibliográficas:

Você pode gostar também