Úmero: o que é, anatomia e muito mais!

Úmero: o que é, anatomia e muito mais!

O úmero é um osso do corpo humano. Ele fica localizado no braço, sendo o único osso desse compartimento anatômico. É classificado como um osso longo e possui relações funcionais com diversos outros sistemas. Isso mostra sua importância para o bom funcionamento do organismo, principalmente quando o assunto é movimentação. 

Quer saber mais sobre esse importante osso? Acompanhe este texto que o Estratégia MED preparou!

O que é o Úmero?

Sendo um osso, o úmero é classificado como um órgão do corpo humano. Portanto, é uma estrutura composta de diferentes tecidos, como o ósseo e o hematopoiético. É o maior osso de todo o membro superior e se relaciona com a clavícula, escápula, rádio e ulna.

Microscopicamente é composto por diferentes células, como as endoteliais, imunes, nervosas e hematogênicas — o osso é uma estrutura ricamente vascularizada. O grande destaque, entretanto, vai para as células típicas de matriz óssea, numérica e funcionalmente muito presentes. São elas: osteócitos, osteoblastos e osteoclastos, principalmente.

Anatomia do Úmero

Como qualquer osso, o úmero é moldado desde o período intra-uterino até depois do parto. Ele sofre forças de tensão que acabam conferindo-lhe uma anatomia bastante típica e característica. Os grandes agentes responsáveis por sua conformação final são tendões, ligamentos e músculos, os quais se prendem ao longo de toda sua estrutura.

Alguns acidentes ósseos são fundamentais para uma correta atuação do úmero e, consequentemente, um bom funcionamento do corpo humano, são eles:

  • Cabeça do úmero: é a porção mais superior do osso, é arredondada e se articula com a escápula, relação que compõe o ombro;
  • Colo cirúrgico: um local bastante comum de ocorrer fraturas, estreito e inferior à cabeça do úmero e aos tubérculos; e
  • Colo anatômico: visível pelo sulco presente entre os tubérculos do úmero.

No corpo desse osso estão presentes dois acidentes anatômicos importantes:

  • Sulco do nervo radial: por onde passam o nervo radial e a artéria braquial, localizado na porção posterior do osso; e
  • Tuberosidade do músculo deltoide: estrutura na qual se fixa o deltoide, um importante músculo do membro superior.

A terminação distal do úmero é repleta de estruturas responsáveis por uma correta relação com os ossos do antebraço e, consequentemente, pela estabilidade do cotovelo. São elas:

  • Tróclea: classicamente descrita em forma de carretel, responsável pelo encaixe com a porção proximal da ulna, um dos ossos do antebraço;
  • Fossa Coronoide: estrutura que articula a porção anterior do úmero com a ulna;
  • Capítulo: acidente responsável por uma correta relação do úmero com o rádio, o outro osso do antebraço; e
  • Fossa do olécrano: formação posterior do úmero que abriga uma porção da ulna, quando ocorre a extensão — popularmente, esticar — do braço.

Qual a função?

O úmero possui diversas funções comuns a outros ossos:

  • Sustentação: serve de arcabouço para diversas outras estruturas que se ligam e se fixam nele, como o músculo braquial e o deltoide e também ligamentos como o Colateral Radial e Colateral Ulnar;
  • Resistência: por ser um osso, ele apresenta notável rigidez. Proporcionada, principalmente, pelo depósito de uma matriz inorgânica — minerais —, com destaque para Hidroxiapatita; e
  • Depósito de minerais e íons: o úmero acumula grande quantidade de íon Cálcio, o qual é extremamente necessário para a sobrevivência do indivíduo. A regulação dos níveis de Cálcio no sangue é feita por hormônios como Calcitonina e Paratormônio, que podem retirar ou devolver minerais ao osso, conforme a demanda metabólica.

O úmero também possui funções únicas, que estão relacionadas a movimentação dos braços:

  • Movimento: o úmero compõe a articulação do ombro e do cotovelo, as grandes responsáveis pelo movimento e pela destreza dos braços. 

Dessa forma, o úmero tem a função de possibilitar movimentos como flexão do braço — realizado quando a mão toca o ombro —, extensão do braço — quando se estica o braço —, rotação lateral e medial, a qual é proporcionada pela forma esférica da cabeça do úmero. Isso faz com que sejamos capazes de movimentar o braço no plano vertical, horizontal e sagital.

  • Ancoragem: o úmero guarda íntima relação com diversos músculos, que por se fixarem nele, possibilitam o deslocamento dos braços.

Fratura do úmero

O principal tipo de fratura que acontece no úmero é a fratura de colo cirúrgico. Essa situação é bastante comum em pacientes mais idosos e frequentemente está associada à osteoporose e a quedas pequenas sobre as mãos

Outras formas de fratura são incomuns, mas podem ocorrer em qualquer idade dependendo do nível da queda. 

Fraturas do úmero localizadas mais próximas ao cotovelo costumam necessitar de tratamento cirúrgico, enquanto as mais próximas ao ombro tendem a apresentar melhora com imobilização. 

Coruja VIP

Você também pode se interessar por:

Você pode gostar também