Agosto Dourado: Mês do Aleitamento Materno
Créditos: Shutterstock

Agosto Dourado: Mês do Aleitamento Materno


O aleitamento materno, ou amamentação, é de suma importância nos primeiros meses de vida do bebê, pois isso reduz os riscos de doenças.

Para o lactente, o aleitamento materno deve ser exclusivo e em livre demanda até os seis meses de idade e também é recomendado que seja mantido até os dois anos ou mais. Assim, evita-se a morbi-mortalidade infantil, diminuindo a incidência de infecções, diarreias, alergias, entre outras. Além disso, a amamentação é importantíssima para o crescimento e desenvolvimento saudável do bebê.

Já para a lactante, a produção de leite e o ato de amamentar também traz benefícios como diminuição do sangramento no período pós-parto, proteção contra câncer de mama, ovário e útero, e do risco de doenças cardiovasculares, obesidade e outras patologias.

Instituído pela Lei nº13.435/2017, agosto foi o mês escolhido para celebrar, incentivar e conscientizar sobre a importância do aleitamento materno para mãe e bebê. Durante os 31 dias do mês, ações promovidas sobre o tema são intensificadas por todo o país através de palestras, eventos, atividades e oficinas para todos que tiverem interesse e apoiam mulheres que amamentam.

Já em âmbito mundial, em 1990, após encontro entre a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), ficou estabelecido um documento, adotado por organizações governamentais e não-governamentais defensoras da amamentação, intitulado “Declaração de Innocenti”. Atualizado em 2005, o documento traz medidas urgentes e necessárias para assegurar a saúde e desenvolvimento da criança, assim como proteger direitos de mulheres que amamentam.

Com os compromissos firmados e com o objetivo de seguir promovendo essas medidas, foi fundada a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação, WABA, sigla em inglês para World Alliance for Breastfeeding Action, criadora da Semana Mundial de Aleitamento Materno.

Inscreva-se em nossa newsletter!

Receba notícias sobre residência médica e revalidação de diplomas, além de materiais de estudo gratuitos e informações relevantes do mundo da Medicina.

Semana Mundial do Aleitamento Materno 2022

Anualmente, a WABA promove a Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM) entre os dias 1 e 7 de agosto e, assim como o Agosto Dourado, seu principal objetivo é intensificar ações de celebração, incentivo e conscientização sobre a amamentação.

Com um tema diferente a cada ano, o escolhido para 2022 foi: “Fortalecer a Amamentação: educando e apoiando”. Além de conscientizar sobre os motivos da amamentação ser necessária, como já citado anteriormente, a campanha deste ano fortalece a importância do apoio dado à lactante pelas pessoas ao seu redor e como é essencial a presença e participação delas durante o período de aleitamento.

Desde orientações durante o pré-natal, passando pelo trabalho de parto, pós-parto e cuidados contínuos, a cartilha da SMAM 2022, traduzida em 14 idiomas e distribuída para 120 países, elenca desafios e entrega dicas e metas para melhorias. Desta forma,  o documento suscita com que todos os presentes durante o aleitamento materno sejam parte e ajudem de alguma maneira, direta ou indiretamente, indo além de um simples apoio moral. Trabalhadores da saúde da comunidade, doulas e parteiras, médicos, grupos de apoio à amamentação, empregadores e sindicatos, membros da família e pais ou companheiros são alguns dos protagonistas citados com um papel e missão importantes.

Para conferir o folder completo da SMAM e com todos os detalhes, clique no botão abaixo:

Doação de Leite Materno

A doação de leite materno salva vidas e se torna necessária para bebês prematuros que se encontram internados em Unidades de Terapia Intensiva Neonatais, abaixo do peso e que não podem ser alimentados pela própria mãe.

Com apenas um litro, até dez bebês podem ser alimentados por dia e qualquer mulher saudável, que não faça uso de medicamentos contraindicados para este momento e esteja em período de amamentação pode ser uma doadora e ficar tranquila quanto a escassez da produção de leite para seu próprio bebê, afinal, quanto mais a mulher amamenta ou retira, mais leite é produzido.

Então se você está amamentando ou conhece alguém que esteja e tem o interesse em ajudar, para se tornar doadora é fácil. O primeiro passo é entrar em contato com o Banco de Leite Humano (BLH) mais próximo para realizar o seu cadastro e o agendamento para que a equipe do BLH faça uma visita e passe toda a explicação da coleta, assim como a conferência dos exames pré-natais da mulher. Para não haver desperdício durante o processo de doação, seja durante a coleta ou pelo seu armazenamento incorreto, é imprescindível seguir o passo a passo fornecido, e explicado na visita, pela Rede Global de Bancos de Leite Humano. Os BLHs também oferecem materiais para a realização higiênica da doação como gorros, máscaras, etiquetas e frascos de vidro esterilizados.

Apesar da importância da ajuda e doação, a amamentação cruzada – quando uma mulher amamenta uma criança que não é sua – é contraindicada pela OMS pelos riscos que possui. Todo leite doado para os BLHs é analisado, passando por um rigoroso controle de qualidade e respeitando a resolução RDC nº171 que dispõe sobre o regulamento técnico para o legal funcionamento dos bancos de leite materno.

Coruja VIP

Veja também:

Você pode gostar também