Aumento do sarampo no Brasil
Divulgação: Freepik Young doctor is holding hypodermic syringe with vaccine vial rubber gloves on gray background.

Aumento do sarampo no Brasil

Como vai, futuro Residente? Um assunto muito falado recentemente é o aumento do sarampo no Brasil. É de extrema importância que você saiba como lidar com essa situação no ambiente médico. Por isso, nós do Estratégia MED preparamos um resumo com tudo o que você precisa saber sobre a patologia e sua atual situação no Brasil e no mundo. Continue a leitura!

O que é o sarampo e como posso ser infectado?

O Sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus chamado Morbillivirus, da família paramyxoviridae. É transmitido principalmente via direta, interpessoal, por secreções do nariz e boca, expelidas por um indivíduo infectado ao tossir, espirrar, respirar ou até mesmo falar, além da contaminação pelas gotículas disseminadas no ar, e por isso possui altas taxas de transmissão, chegando a quase 1:20. 

Quais são seus sintomas?

Segundo a Organização Pan Americana de Saúde (OPAS), entre os principais sintomas do sarampo estão tosse persistente, febre, corrimento no nariz, irritação nos olhos e mal-estar extremo, que podem ser seguidos de eritemas na face, que evoluem para as pernas, e manchas brancas dentro da bochecha, além de conjuntivite, convulsões e perda de apetite. 

Em casos graves não tratados, a doença pode evoluir com complicações potencialmente fatais, principalmente nos grupos de risco (crianças e gestantes), o que explica o fato do sarampo ser uma grande causa de mortalidade infantil em países subdesenvolvidos. Entre as complicações pode ocorrer meningite e pneumonia, o que causa necessário acompanhamento de um médico especialista.

Por que o sarampo voltou a infectar de maneira disseminada?

Até o dia 15/04/2022, dois casos de sarampo foram confirmados no Estado de São Paulo, sendo um na capital paulista e outro na região metropolitana da Baixada Santista, em São Vicente. Devido a sua alta taxa de transmissão, existem mais de 25 casos suspeitos que despertam grande preocupação para as autoridades em saúde pública. 

A princípio, acredita-se que com a situação pandêmica e a vacinação contra a Covid-19, ocorreu um senso comum de “esquecimento”, em que apenas a vacina da covid era importante, e deixando de lado as outras tão importantes, como sarampo, coqueluche, rubéola, que contemplam a tríplice viral.

A taxa prevista de imunização com a tríplice viral é de 95%, porém, segundo dados do DataSUS, esse número caiu para 49,62% em 2021, o que explica possivelmente o aumento de casos. Esse ano ainda não foram notificados óbitos por sarampo, porém, em 2021, 2 foram notificados no Amapá, dois menores de 1 ano de idade. 

Além disso, suspeita-se que pode ter ocorrido uma mudança de hábitos sociais, culturais e econômicos no mundo, que cursam com a dificuldade das famílias, principalmente de baixa renda, em imunizarem suas crianças. 

Como posso me prevenir?

Uma vez infectado, por se tratar de uma doença viral, os antivirais não são suficientes para o tratamento do sarampo, que é principalmente sintomático. 

Porém, com a imunização por vacinas é possível prevenir a doença. A vacinação começa quando a criança faz 1 ano de idade, e recebe uma dose de reforço aos 15 meses, com isso é considerada suficiente para se manter protegido a vida toda. 

Com a volta dos casos de sarampo, houve uma reformulação nas campanhas de vacinação, que inclui uma “dose 0” adicional, a partir dos 6 meses de idade. Agora, as crianças de até 5 anos que já tomaram duas doses, também podem tomar essa dose de reforço até o dia 03 de junho deste ano. 

Profissionais da saúde, sem comprovação das doses, também podem receber a dose adicional. 

Outra forma de se prevenir da doença, além da imunização, é claramente evitando o contato interpessoal com pessoas infectadas. 

ATENÇÃO: a vacina é contraindicada para gestantes, pessoas que receberam transplantes ou imunodeprimidas. Pacientes acima de 60 anos ou que tenham alergias devem consultar um médico para saber se podem ou não receber a vacina. 

Somente o Brasil retornou com os casos de sarampo?

Segundo a UNICEF, cerca de 98 países notificaram aumento nos casos de sarampo desde 2018, com quase ¾ disso ocorrendo em apenas 10 países, incluindo o Brasil, Madagascar, Filipinas, Ucrânia e Iêmen.

A Organização Mundial da Saúde se dispõe para o acompanhamento da disseminação global do vírus causador da doença, permitindo a notificação de casos diagnosticados precocemente para que sejam tratados e evite complicações.

Apesar da vacinação, o sarampo voltou a ser de preocupação global, devido a suas altas taxas de contágio e alta mortalidade. É importante que você, médico, saiba tudo sobre essa doença e saiba diagnosticar e tratá-la se necessário em um possível atendimento.

Gostou do conteúdo? Esse foi um pequeno resumo sobre sarampo, importante para seu conhecimento não só pelas provas de Residência Médica, mas principalmente pela sua prática clínica!

Não se esqueça de fazer parte do time Estratégia MED acessando a nossa plataforma! Lá você encontra tudo o que precisa sobre diversos temas para as provas de Residência Médica, com acesso às videoaulas, resumos, materiais, simulados, bancos de questões e muito mais exclusivamente para você, futuro Residente! Não deixe de conferir!

Não se esqueça de compartilhar com um amigo futuro residente também. Afinal, quem estuda junto, passa junto! 

Coruja VIP

Veja também:

Você pode gostar também