ResuMED de transtornos psicóticos

ResuMED de transtornos psicóticos

Saudações, futuro residente, como anda sua preparação para a prova que dá acesso a sua especialidade dos sonhos? Aqui neste ResuMED temos um material que com certeza irá alavancar seu desempenho. Vamos juntos discutir o essencial sobre transtornos psicóticos. 

Transtornos Psicóticos – Esquizofrenia

A esquizofrenia é um transtorno psicótico crônico que prejudica as funções cognitivas do indivíduo. Por um bom tempo foi chamada de demência precoce. Alguns critérios são importantes para o diagnóstico de esquizofrenia. São eles:

  • Delírios
  • Alucinações; 
  • Discurso desorganizado; 
  • Comportamento grosseiramente desorganizado ou catatônico; 
  • Sintomas negativos; e 
  • Prejuízo funcional

Dois ou mais critérios desses presentes por mais de 1 mês já são considerados pontos válidos no diagnóstico pelo CID-10. Já o DSM-V pede pelo menos 6 meses de sintomas típicos e prejuízo funcional. 

Epidemiologia da esquizofrenia

É um dos transtornos psicóticos que afeta cerca de 1% da população mundial, normalmente com os sintomas aparecendo antes dos 25 anos de idade e permanecendo por toda a vida. Em homens é mais prevalente e se apresenta de maneira mais precoce também. 

Tratamento da esquizofrenia

O tratamento é feito com antipsicóticos que atuam bloqueando as vias dopaminérgicas na via mesolímbica e na via mesocortical – vias responsáveis pelos sintomas positivos e negativos do transtorno. A tabela abaixo mostra as possibilidades de fármacos a serem utilizados no tratamento. 

Antipsicóticos TípicosAntipsicóticos Atípicos
Clorpromazina 300 mg – 1000 mgAripiprazol 5 mg – 30 mg
Haloperidol 5 mg – 20 mgClozapina 100 mg – 900 mg
Levomepromazina 300 mg – 1000 mgLurasidona 20 mg – 160 mg
Periciazina 15 mg – 300 mgOlanzapina 5 mg – 30 mg
Pimozida 2 mg – 20 mgQuetiapina 200 mg – 800 mg
Tioridazina 300 mg – 800 mgRisperidona 2 mg – 16 mg
Zuclopentixol 20 mg – 100 mgZiprasidona 40 mg – 160 mg
Tabela 1 – Antipsicóticos típicos e atípicos

Para avaliar se o antipsicótico está sendo efetivo é necessário aguardar de 4 a 8 semanas, uma vez que a resposta terapêutica esteja sendo atingida é mantida a medicação até o fim da vida. Em caso de ausência de resposta terapêutica, troca-se a medicação e aguarda-se mais 4 a 8 semanas. Após duas tentativas falhas já é considerada uma esquizofrenia refratária e assim é indicado o fármaco atípico a Clozapina. Aqui vale ressaltar que o colateral mais comum da clozapina é a agranulocitose, por isso indica-se o rastreio mensal com hemograma. 

Transtorno psicótico breve 

É caracterizado por um sintoma psicótico que dura até 1 mês, metade dos pacientes receberá futuramente o diagnóstico de transtorno bipolar, ou esquizofrenia. Após a resolução do quadro é recomendado que se mantenha o antipsicótico por 12 meses.

Transtorno esquizofreniforme

Possui os mesmos critérios diagnósticos da esquizofrenia em si, porém com duração de 30 a 180 dias, tais pacientes exigem acompanhamento longitudinal, pois em até 2 anos abrem o quadro de esquizofrenia, esquizoafetivo ou transtorno bipolar. 

Transtorno esquizoafetivo

É um transtorno que mistura as características dos transtornos afetivos com a esquizofrenia, o paciente oscila entre quadros como a depressão, bipolar e os sintomas esquizofrênicos, podendo ocorrer no mesmo episódio ou em episódios separados. Tal condição atinge até 0,8% da população mundial. 
O tratamento consiste na associação entre estabilizadores de humor, até antidepressivos com antipsicóticos. 

Transtorno delirante persistente

Se apresenta em pacientes com a funcionalidade relativamente preservada. Porém, nesse transtorno o paciente tem como principal apresentação o delírio persistente. Importante ressaltar que o paciente não apresenta alucinações. O tratamento é feito com antipsicóticos e psicoterapia, porém em qualquer uma das duas a resposta ocorre em 50% dos casos. 

Psicose puerperal

Acredita-se que o quadro venha de uma descompensação dos transtornos bipolar ou depressão pelo parto em si. Atinge 2 a cada 1.000 gestantes. O tratamento consiste na associação de antipsicóticos com estabilizadores do humor ou até antidepressivos.

Testando seus Conhecimentos

É isso, estrategista, neste ResuMED construímos seu diferencial para a prova, os assuntos menos prevalentes, como transtornos psicóticos, em provas tem muito valor para que você se destaque, principalmente nas carreiras mais concorridas. Agora vamos testar um pouco do conhecimento adquirido. 

  1. 2020 UNIFESP

Homem, 23 anos de idade, é trazido à Unidade de Pronto Atendimento por familiares preocupados com o seu comportamento. Paciente relata que passou a ser perseguido pela máfia por ter descoberto segredos de uma religião antiga. Os pais relatam que ele tem falado desses conteúdos há dois meses, se afastado dos amigos e faltado às aulas na faculdade há oito meses. Refere grande tristeza, pois não entende o motivo da perseguição. Apresenta comportamento desorganizado, parece distanciado afetivamente, mesmo das pessoas mais próximas, e sai pouco de casa espontaneamente. Nega alucinações auditivas ou visuais e não tem histórico de uso de substâncias de abuso. Exame físico geral e neurológico: sem alterações. Qual é o diagnóstico mais provável?

A) Transtorno delirante persistente

B) Transtorno esquizofreniforme

C) Episódio depressivo com sintomas psicóticos

D) Transtorno esquizoafetivo

E) Esquizofrenia

Resposta correta: E.

  1. 2020 UNIFESP

Mulher, 78 anos de idade, chega à Unidade de Pronto Atendimento bastante agitada, acompanhada pela família. Está assustada, com discurso confuso e não consegue explicar o motivo de seu medo. Durante a consulta, fica progressivamente menos colaborativa, recusando-se a conversar. A família nega doença psiquiátrica prévia e relata que a alteração de comportamento começou na noite anterior. A paciente passou a noite agitada e dormiu apenas às 05:00h da manhã. Acordou mais tranquila, porém menos ativa que o usual, preferindo ficar deitada, sem muito apetite. Não conseguiu realizar as atividades domésticas usuais. Ao entardecer, começou a ficar agitada novamente. Exame físico: regular estado geral, descorada ++/IV, desidratada +/IV, anictérica, acianótica. FC = 110 bpm, PA = 150X95 mm/Hg, T = 37,8ºC. Exame físico dificultado pela falta de colaboração da paciente, com dor difusa à palpação do abdome. Apresenta odor forte na roupa. Qual é a hipótese diagnóstica e a conduta inicial?

A) Demência. Sedação com haloperidol 2 mg VO e deixar a paciente em observação em ambiente tranquilo. Aplicar o Mini Exame do Estado Mental assim que possível. Investigar acidente vascular cerebral com tomografia computadorizada de crânio.

B) Esquizofrenia. Sedação com haloperidol 10 mg VO. Investigar história familiar da doença. Conversar com a família para autorizar internação em enfermaria psiquiátrica. Pedir hemograma e enzimas hepáticas.

C) Delirium. Sedação com diazepam 10 mg VO e deixar a paciente em observação em ambiente tranquilo. Investigar causa base com hemograma, rastreamento metabólico e infeccioso, exames de imagem cerebral e urina I.

D) Delirium. Sedação com haloperidol 2 mg VO e deixar a paciente em observação em ambiente tranquilo. Investigar causa base com hemograma, rastreamento metabólico e infeccioso, exames de imagem cerebral e urina I.

E) Demência. Sedação com diazepam 10 mg VO e deixar a paciente em observação em ambiente tranquilo. Aplicar o Mini Exame do Estado Mental assim que possível. Investigar acidente vascular cerebral com tomografia computadorizada de crânio.

Resposta correta: D. 

Para essas e muitas outras questões sobre transtornos psicóticos e mais, seja assinante , do mais completo, banco de questões Estratégia MED. 

EMED-CTAs-Campanha-Volta-as-Aulas-2023-.jpg

Veja também:

Você pode gostar também