Tétano: causas, sintomas e muito mais!

Tétano: causas, sintomas e muito mais!

Quer descobrir tudo sobre o tétano? O Estratégia MED separou para você as principais informações sobre o assunto. Acompanhe este texto e descubra!

O que é tétano?

O tétano é uma doença conhecida há muitos séculos, descrita pela primeira vez por Hipócrates no século V a.C., que causa rigidez de membros e contrações espasmódicas. Teve muita relevância no passado, especialmente em guerras, porém, atualmente, a sua incidência vem caindo, graças à profilaxia e ao tratamento da doença.

No entanto, não é uma doença erradicada e ainda atinge milhares de pessoas em todo mundo, especialmente em países subdesenvolvidos, com condições sanitárias inadequadas e é uma importante causa de mortalidade infantil em regiões pobres do planeta. 

Qual a causa e como se transmite o tétano? 

Qual a causa e como se transmite o tétano?

O tétano é causado por uma bactéria anaeróbia da espécie Clostridium tetani. Esse microrganismo é capaz de formar esporos, que são altamente resistentes a condições adversas, podendo ser inoculada em qualquer ferimento mais profundo. 

Em condições de anaerobiose no ferimento, os esporos germinam e se replicam, produzindo duas toxinas: a tetanolisina e tetanospasmina. Essas toxinas causam morte celular e um quadro de espasticidade e contraturas musculares que levam ao quadro clínico clássico do tétano. 

Sintomas

O tétano possui duas fases, uma de incubação e outra de progressão. A fase de incubação ocorre entre a inoculação do agente e o primeiro espasmo ou rigidez. A fase de progressão é o intervalo entre o primeiro sintoma e o primeiro espasmo generalizado. 

Os principais sintomas são a presença de hipertonia muscular facial, espasticidade da musculatura cervical, redução da expansibilidade torácica, rigidez abdominal e hipertonia da musculatura vertebral.

Em quadros avançados, há espasmos simultâneos em todos os grupos musculares. A manifestação mais grave do tétano é a disautonomia, causada por hiperatividade simpática, que leva taquicardia, hipertensão, arritmias, sudorese intensa, seguida de uma fase parassimpática, com bradicardia e hipotensão, que podem evoluir para parada cardíaca.

Diagnóstico

O diagnóstico do tétano é eminentemente clínico, pois o isolamento da bactéria no local de inoculação é muito difícil e não está indicado. Também não há testes sorológicos validados para o diagnóstico dessa doença.

Um exame complementar que pode auxiliar é a dosagem de creatinofosfoquinase (CPK) que, na maioria dos casos, está bastante elevada, em especial no tétano generalizado. Entretanto, nas fases mais iniciais, ela pode estar normal ou pouco aumentada. 

Tratamento do tétano

Os antibióticos indicados para combater a Clostridium tetani são a penicilina cristalina e o metronidazol. A dose recomendada da primeira é de 500.000 a 2.000.000 UI, a cada 4 a 6 horas e do último, 500 mg 3 a 4 vezes por dia, ambos de 7 a 10 dias. Também deve ser administrado antitoxina específica, que pode ser soro antitetânico heterólogo (SAT) e imunoglobulina humana antitetânica (IGHAT). As doses de SAT podem variar de 500 a 1000 UI/kg e as de IGHAT de 500 a 10000 UI. 

É importante realizar a limpeza do foco de inoculação, retirando-se o corpo estranho e debridando o ferimento de forma cuidadosa.

Quanto ao suporte ao paciente, especialmente em quadros mais evoluídos, é fundamental proteger as vias aéreas, mantendo-as pérvias, eventualmente com o uso de ventilação mecânica. Deve-se promover o relaxamento muscular, que no tétano é classicamente feito com diazepam. Também é possível sedar o paciente, caso os espasmos permaneçam com uso de diazepam.

Já na presença de disautonomia, é importante realizar o controle com uso de drogas vasoativas na fase parassimpática, que é a de maior risco para o paciente. 

Por fim, é fundamental que seja realizada a vacinação antitetânica na população, protegendo a todos contra a ocorrência da doença. A vacina contra o tétano está disponível no SUS e deve ser administrada em 3 doses, seguidas de reforço a cada 10 anos.

Gostou do conteúdo que o Estratégia MED trouxe para você? Então não deixe de aproveitar as outras opções para estudo que preparamos para você! Se você vai se preparar para as principais e mais concorridas provas de Residência Médica do Brasil, então o Curso Extensivo do Estratégia MED é o seu principal aliado. 

Na plataforma do Estratégia MED, há videoaulas elaboradas especialmente para a preparação para a prova de Residência Médica, material completo e constantemente atualizado, banco com milhares de questões resolvidas, possibilidade de montar simulados e de estudar onde e quando quiser. Se interessou? Clique no banner abaixo e saiba mais. 

Você pode gostar também