Atualização: vacinação contra Covid-19 para crianças

Atualização: vacinação contra Covid-19 para crianças

Como vai, futuro Residente? A vacinação infantil contra a COVID-19 foi aprovada pela Anvisa para crianças de 3 a 5 anos, e é de extrema importância que você saiba para orientação de pacientes. Além disso, pode ser um tema importante nas provas de Residência Médica a longo prazo! Por isso, nós do Estratégia MED preparamos um resumo exclusivo com tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Para saber mais, continue a leitura. Bons estudos!

Epidemiologia

Estima-se que, no Brasil, entre os anos de 2020 a junho de 2022, foram identificados 17.252 casos de Síndrome Respiratória Grave por Covid-19 e 730 mil óbitos entre crianças de 6 meses e 4 anos, com uma letalidade de 8% e 6%, respectivamente. Ou seja, há uma menor incidência e mortalidade em crianças quando relacionada aos adultos, o que não diminui a necessidade de vacinação. 

Critérios para identificação da SIMP

Para identificar a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIMP) é necessário o cumprimento de alguns critérios. São eles:

  • Idade de zero a 19 anos;
  • Febre por 3 ou mais dias;
  • Envolvimento multissistêmico (pelo menos 2 critérios):
    • Alterações cutâneas: rash, conjuntivite, mucosite ou alteração de extremidades; ou
    • Hipotensão ou choque;ou
    • Alterações cardíacas: disfunção cardíaca, pericardite, valvulite, alterações de coronárias ou aumento de troponina/BNP; ou
    • Sintomas gastrointestinais: diarreia, vômito ou dor; ou
  • Marcadores de inflamação elevados: PCR, VHS, procalcitonina; ou
  • Ausência de outra doença infecciosa;
  • Evidência de SARS-COVID-19: RT-PCR, sorologia, antígenos positivos ou contato com pessoas infectadas pela Covid-19.

Vacina CoronaVac

Foi fundamentado, para autorização da vacina nesta faixa etária, que em 2021 os países China, Hong Kong e Chile foram utilizadas as vacinas CoronaVac em crianças, provando a eficácia da vacina pela redução de hospitalização e de casos graves da doença nessa idade. Portanto, em 14 de julho de 2022, foi aprovada pela Anvisa para o uso no Brasil, com o apoio da Sociedade Brasileira de Pediatria, Sociedade Brasileira de Imunizações, Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia e da Associação Brasileira de Saúde Coletiva. 

Sua posologia é feita em 2 doses com o intervalo de 28 dias entre a primeira e a segunda dose, em doses de 0,5 mL por via intramuscular

Porém, não há um estoque suficiente de doses para a vacinação de todas as crianças em massa, fazendo com que a campanha fosse dividida da seguinte forma:

  • 1°: crianças imunocomprometidas de 3 a 4 anos 11 meses e 29 dias;
  • 2°: crianças de 4 anos imunocompetentes;
  • 3°: crianças de 3 anos imunocompetentes. 

Vacinas autorizadas no Brasil

Agora que as vacinas são melhor conhecidas, cada vez mais a vacinação contra a COVID-19 estará presente nas provas de Residência Médica. Vamos relembrar quais são aprovadas no Brasil e seus principais pontos:

CoronaVac

Consiste em uma vacina de vírus inativado. É autorizada para crianças (acima de 3 anos, em duas doses), adultos (em 2 doses), gestantes, imunodeprimidos (exceto entre 6 e 17 anos), e não há relatos de reações adversas graves. 

Oxford/AstraZeneca

É uma vacina de vetor viral, que utiliza do Adenovírus para carregar a proteína S para formação de anticorpos. É autorizada apenas para adultos, a partir de 18 anos em duas doses, imunodeprimidos acima de 18 anos (em 3 doses), sendo contraindicada para crianças, gestantes, puérperas e pacientes que tiveram trombose ou plaquetopenia após a primeira dose (suas principais reações adversas). 

Porém, ainda que haja reações adversas, é importante lembrar que os benefícios superam os riscos, pois são menores. 

Jansen

Também é utilizado um vetor viral, não é autorizada para crianças e gestantes, e deve ser feita em adultos a partir dos 18 anos em dose única, imunodeprimidos acima dos 18 anos em 2 doses até os 39 anos, e em dose única acima dessa idade. Trombose e plaquetopenia também são riscos de reações adversas. 

Pfizer

É uma vacina de RNA mensageiro, em que utiliza-se um RNA para que as células humanas expressam a proteína S. Está licenciada para crianças acima de 5 anos, em duas doses de 0,2 mL até os 17 anos – a partir dos 18 anos realiza-se a dose de adulto (0,3 mL).

Pode ser realizada em gestantes e imunodeprimidos acima de 12 anos (em 3 doses), e não apresenta contraindicações específicas. Suas principais reações adversas apresentadas são miocardite e pericardite em adolescentes e crianças jovens, sem relatos em crianças.

Novamente, os benefícios são maiores que o risco, principalmente pelo fato da SIMP cursar com complicações cardíacas. É melhor não correr o risco, né?

Gostou do conteúdo? Não se esqueça de fazer parte do time Estratégia MED acessando a nossa plataforma! Lá você encontra tudo o que precisa sobre diversos temas para as provas de Residência Médica, com acesso às videoaulas, resumos, materiais, simulados, bancos de questões e muito mais exclusivamente para você, futuro Residente! Não deixe de conferir!

Não se esqueça de compartilhar com um amigo futuro residente também. Afinal, quem estuda junto, passa junto! 

EMED-CTAs-Campanha-Volta-as-Aulas-2023-.jpg

Você também pode se interessar por:

Você pode gostar também